Release

Texto e Atuação:  Paulo Betti

Direção: Paulo Betti e Rafael Ponzi

"Autobiografia Autorizada”, um monólogo caprichado com iluminação, figurino, trilha sonora, escrito e protagonizado por Paulo Betti, dirigido por  ele e por Rafael Ponzi, estreou dia 19 de março de 2015, no Centro Cultural Correios. Após temporada de dois meses, o espetáculo já passou pelas cidades de Sorocaba, São Carlos, Jundiaí, Araraquara, Piracicaba, Paulínia, Fortaleza, Uberlândia, Brasília, Luanda (África), Niterói, uma nova temporada em 2015 na Sala Chiquinho Brandão, Casa da Gávea e no Teatro Glauce Rocha/RJ, Manaus, Belém, Goiânia, Salvador, Florianópolis, Porto Alegre e João Pessoa e uma temporada  no Teatro Vivo de São Paulo e em Lençóis Paulista.

 

O espetáculo, que marca a comemoração dos 40 anos de carreira de Paulo, foi construído pelo próprio artista, que se inspirou nos textos escritos em   grandes blocos durante a adolescência, onde também fazia colagens de fatos da época, e também nos artigos semanais que escreveu por quase trinta anos para o Jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba, cidade onde foi criado.

 

A peça recebeu unanimidade  de criticas positivas e recebeu indicação para o prêmio Shell de melhor texto em 2015 e foi finalista do Prêmio Faz Diferença (O Globo).

 

A peça é um amalgama do Brasil profundo, inspirada pela inusitada historia de superação de Paulo, que percorre o trajeto riquíssimo da roça a cidade, contando um pouco da historia da Imigração Italiana no Brasil.

Paulo Betti (62anos) saiu do mundo rural onde o avô, um imigrante italiano, trabalhava a meia para um fazendeiro negro.

 

Filho de uma camponesa analfabeta, que mudou para a cidade onde foi empregada, mãe de 15 filhos (Paulo é o décimo quinto, temporão, dez anos de diferença de seu irmão mais novo).

 

Seu pai era esquizofrênico. Apesar disso, estudou em boas escolas, cursou um Ginásio Industrial em tempo integral, se formou pela Escola de Arte Dramática da USP e foi professor na Unicamp. O testemunho do ator, autor e diretor, que vai representar pai, mãe, avó e muitos outros personagens da própria vida, levará ao público uma peça divertida e emocionante.

Segundo Paulo, lendo as anotações que ele fez no decorrer de quase uma vida inteira, chegou à conclusão que, o tempo todo, se preparou para revelar as extraordinárias condições que o levaram a sobreviver. “Minha fixação pela memória da infância e adolescência, passada num ambiente inóspito e ao mesmo tempo poético, talvez mereça ser compartilhada no intuito de provocar emoção, riso, entretenimento e entendimento”, completa Betti.

Paralelo ao espetáculo, Paulo filmou e finalizou um novo longa-metragem “A fera na selva”, baseada na obra do escritor norte-americano Henry James, com direção do próprio Paulo, ao lado de Eliane Giardini, adaptação para o cinema do espetáculo que ele encenou com a atriz e ex-mulher, em 1992, e com o qual recebeu o prêmio Shell de melhor ator. As filmagens foram realizadas em Sorocaba, cidade onde Paulo passou a infância e adolescência e conheceu Eliane.

Com humor, poesia e dor, Paulo mergulha na vida de seus pais e avós e emerge com uma peça edificante quer e afirma a importância do ensino público e do trabalho social para a valorização do ser humano.

FICHA TÉCNICA

Texto: Paulo Betti

Direção: Paulo Betti e Rafael Ponzi

Elenco: Paulo Betti

Cenário: Mana Bernardes

Figurino: Leticia Ponzi

Iluminação: Dani Sanchez e Luiz Paulo Neném

Direção de Movimento: Miriam Weitzman

Programação Visual: Mana Bernardes

Trilha Sonora: Pedro Bernardes

Fotografia: Mauro Khouri

Assistente de Direção: Juliana Betti

Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti

Direção de Produção: Lya Baptista

Produção de Viagens e Assessoria de Vendas: Gerardo Franco

SERVIÇO

Duração: 110minutos

Gênero: Comédia

Classificação: 12 anos

““Memórias com narrativa delicada” / “O título bem humorado indica o que a peça pode oferecer” / “Uma viagem afetiva por geografia emocional que explora regiões de contornos fantasticamente realistas” / “não há qualquer complacência queixosa ou saudosismo.” / “o ator Paulo Betti demonstra a mesma sinceridade e despojamento do autor.” / “uma vida áspera, mas encantatória, de um caipira que chegou com dificuldades ao mundo.”

MacksenLuis - OGlobo

“Deixa gostinho de quero mais.” / “muitos méritos no desenvolvimento da dramaturgia e da encenação.” / “uma pérola na programação do teatro carioca.” / “repleto de lirismo” / “os assuntos evoluem deforma surpreendente” / “pelas nobres intenções, mas também pela alta qualidade do resultado, Autobiografia autorizada, merece efusivos aplausos”.

Rodrigo Monteiro – Veja Rio

Splendore - Produções e Eventos - Todos os direitos reservados